19 de junho de 2018

O Desafio de Amar - 6º Dia


[ 1º Dia ] [ 2º Dia ] [ 3º Dia ] [ 4º Dia ] [ 5º Dia ] [ 6º Dia ]

6° Dia
O Amor não se irrita facilmente

Melhor é o homem paciente do que o guerreiro, mais vale controlar o seu espírito do que conquistar uma cidade. Provérbios 16:32

O amor é tardio em ofender e pronto a perdoar. Você se irrita e se ofende facilmente? Algumas pessoas têm a frase: "Nunca perca uma oportunidade de ficar chateado com o seu cônjuge" como lema. Quando alguma coisa dá errada, elas rapidamente conseguem um jeito de se beneficiarem, expressando o quanto estão frustradas ou machucadas. Mas essa reação é oposta ao amor.

Irritar-se facilmente significa "estar próximo à ponta de uma faca". Não livre de ser ferido. As pessoas que se irritam facilmente são fechadas, oprimidas e prontas para reagir.

Quando sob pressão, o amor não se irrita. Problemas pequenos não criam grandes contra-ataques. A verdade é, amor não se ira ou se machuca a menos que exista uma razão legítima e justa diante de Deus. Um marido amoroso permanecerá calmo e paciente, mostrando misericórdia e contendo seu temperamento. Raiva e violência estão fora de cogitação. A esposa amorosa não é extremamente sensível ou mal humorada, mas exerce o autocontrole emocional. Ela prefere ser uma flor entre os espinhos e responde amigavelmente às situações difíceis.

Se você está caminhando sob a influência do amor, você será motivo de alegria, não de dor. Pergunte a si mesmo, "Sou uma brisa suave ou uma tempestade esperando para agir?"

Por que as pessoas se irritam facilmente? Existem, pelo menos, duas razões principais que contribuem para isso:
Estresse. O estresse nos sobrecarrega, suga nossa energia, enfraquece nossa saúde, e nos deixa mal-humorados. O estresse pode ser causado por problemas de relacionamento: discussões, divisões e amargura. Existem as questões de excesso: trabalhar muito, jogar muito e gastar excessivamente, e existem as deficiências: não descansar, não se alimentar e não se exercitar o suficiente. Muitas vezes, nos submetemos a esses males, e isso nos torna irritáveis.

A vida é uma maratona, não uma corrida de 100 metros rasos. Isto significa que você deve balancear, priorizar e medir seus passos. Com freqüência jogamos a cautela ao vento e corremos disparados, fazendo o que parece correto no momento. Em pouco tempo ficamos sem ar, presos em amarras e prestes a falar de maneira dura. A crescente pressão pode acabar com a nossa paciência e, conseqüentemente, com o nosso relacionamento.

A Bíblia pode nos ajudar a evitar o estresse que é prejudicial à saúde. Ela nos ensina a deixar o amor guiar nosso relacionamento e a não cair em discussões desnecessárias (Colossenses 3:12-14). A orar pelas nossas ansiedades ao invés de lidar com elas por nós mesmos (Filipenses 4:6-7). A delegar tarefas quando estivermos sobrecarregados (Êxodo 18: 17-23). A evitar prazeres excessivos (Provérbios 25:16).

A Bíblia também nos exorta a guardar o "sábado", tirar um dia por semana para adorar e descansar. Estrategicamente isto nos permite recarregar a bateria, ajustar o foco e acrescentar um tempo para respirar em nossa agenda. Estabelecer esse tipo de espaço extra faz com que os impactos das pressões ao nosso redor sejam amortecidos, reduzindo o estresse que nos mantém no limite com nosso cônjuge. Mas existe uma razão mais profunda que contribui para uma pessoa se irritar facilmente.

Egoísmo: Quando nos irritamos facilmente, o coração do problema é primeiramente um problema do coração. Jesus disse, "Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca" (Mateus 12:34). Algumas pessoas são como limão: quando a vida as espreme, elas liberam uma resposta azeda. Alguns são mais parecidos com o pêssego: quando pressionados, a resposta ainda é doce.

Irar-se facilmente é um indicador de que uma área escondida de egoísmo e insegurança está presente onde o amor deveria reinar. Mas o egoísmo também veste muitas outras máscaras:

A cobiça, por exemplo, é o resultado de ser ingrato pelo que você tem e escolher encobrir ou se apaixonar por algo que é proibido. Quando o coração é ambicioso, ele se irrita e se frustra facilmente (Tiago 4:1-3). A amargura cria raiz quando respondemos de maneira crítica e nos recusamos a tratar nossa raiva. A raiva não resolvida de uma pessoa amargurada vem à tona quando é provocada (Efésios 4:31). A ambição por mais dinheiro e posse nos frustrará com desejos inalcançáveis (1 Timóteo 6:9-10). Essas fortes paixões, unidas com a insatisfação, nos levam a ofender qualquer um que esteja em nosso caminho. O orgulho nos leva a agir de forma áspera para protegermos nosso ego e reputação.

Estas motivações nunca serão satisfeitas. Mas quando o amor entra em nosso coração, ele nos acalma e nos inspira a tirar o foco de nós mesmos. Ele liberta nosso entendimento e nos ajuda a liberar as coisas desnecessárias.

O amor nos levará a perdoar ao invés de guardar rancor. A sermos gratos em lugar de mesquinhos. A sermos satisfeitos ao invés de prontos a fazer dívidas. O amor nos encoraja a ficarmos felizes quando o outro é bem sucedido, em lugar de perder o sono de tanta inveja. O amor diz, "compartilhe a herança" ao invés de "dispute com seus parentes". O amor nos lembra de priorizar a família em lugar de sacrificá-la por uma promoção no trabalho. No final das contas, o amor diminui o estresse e ajuda a acabar com o veneno que pode crescer dentro de nós em cada decisão que tomamos. Assim, ele prepara o nosso coração para responder ao nosso cônjuge com paciência! e encorajamento, ao invés
de responder com raiva e irritação.

» Desafio de hoje »
Escolha hoje para reagir de maneira amorosa, apesar das circunstâncias do seu casamento. Comece fazendo uma lista das áreas em que você precisa separar um tempo para respirar. Então, faça uma lista das motivações negativas e abra mão delas.

OBS: Anote as suas experiências quando você concluir o desafio.

Em que áreas da sua vida você precisa estabelecer limites? Quando foi a última vez que reagiu de forma exagerada? Qual foi a motivação real por trás disso? Quais foram as decisões que você tomou hoje?

Por isso procuro sempre conservar minha consciência
 limpa diante de Deus e dos homens. (Atos 24: 16)

Fonte: O Desafio de Amar

18 de junho de 2018

O Desafio de Amar - 5º Dia


[ 1º Dia ] [ 2º Dia ] [ 3º Dia ] [ 4º Dia ] [ 5º Dia ] [ 6º Dia ]

5° Dia
O Amor não maltrata

A bênção dada aos gritos cedo de manhã, como
maldição é recebida. - Provérbios 27:14

Nada irrita o outro tão rápido quanto à grosseria. Arrogância é dizer coisas desnecessárias ou fazer coisas desagradáveis para a pessoa ao nosso lado. Ser rude é ser inconveniente, constrangedor ou irritante. No casamento, isso poderia ser o falar grosseiro, certos comportamentos à mesa, ou o hábito de ser sarcástico. Apesar de convivermos com isso, ninguém gosta de estar com uma pessoa rude. Comportamentos rudes podem parecer insignificantes para a pessoa que é grosseira, mas é desagradável para aqueles que recebem a grosseria.

Como sempre, o amor tem algo a dizer sobre isso. Quando um homem é guiado pelo amor, ele se comporta intencionalmente de forma a fazer sua esposa se sentir confortável onde estiver. Se ela deseja amá-lo, ela irá propositadamente evitar coisas que o frustram ou causam desconforto para ele.

O ponto principal é que o amor verdadeiro presta atenção em seu comportamento.

Adotar este conceito pode trazer refrigério ao seu casamento. Boas maneiras expressam para sua esposa ou para o seu marido: "Eu lhe valorizo o suficiente para exercitar autocontrole perto de você. Eu quero ser uma companhia agradável." Quando permitimos que o amor mude o nosso comportamento - mesmo que nos menores aspectos - restauramos uma atmosfera de honra em nosso relacionamento. As pessoas que praticam boa etiqueta tendem a aumentar o nível de respeito no ambiente onde se encontram.

Para a maioria, a etiqueta usada em casa é muito diferente da usada com amigos, e até mesmo com os estranhos. Podemos estar aos berros ou mal humorados, mas se a campainha tocar, abrimos a porta sorrindo e com muita gentileza. Mas, se nos desafiamos a amar, também iremos querer dar o melhor de nós. Se não deixarmos o amor nos motivar a fazer as mudanças necessárias em nosso comportamento, a qualidade do nosso casamento será atingida por conta disso.

As mulheres tendem a ser muito melhores em certos tipos de comportamento do que os homens, apesar de serem rudes de outras formas. O rei Salomão disse: "Melhor é viver num canto sob o telhado do que repartir a casa com uma mulher briguenta" (Provérbios 25:24). Mas, principalmente os homens, precisam aprender essa importante lição. A Bíblia diz: "Bem irá ao homem que se compadece" (Salmos 112:5). Um homem prudente sabe discernir o que é apropriado e, conseqüentemente, ajustar seu comportamento de acordo com a situação.

Há duas razões principais pelas quais as pessoas são rudes: ignorância e egoísmo. Com certeza, nenhuma das duas é boa. Uma criança nasce ignorante no que se refere à etiqueta, precisando de muita ajuda e treinamento. Os adultos, contudo, demonstram sua ignorância em outro nível. Sabemos as regras, mas podemos nos fazer de cegos sobre como as quebramos ou ser egocêntricos demais para nos importar. De fato, não percebemos o quão desagradáveis podemos ser.

Ponha-se à prova com essas perguntas:
  • Como o seu cônjuge se sente com o seu jeito de agir e falar com ele?
  • Como o seu comportamento afeta o senso de auto-estima e de importância do seu cônjuge?
  • Seu marido ou sua esposa diria que você é uma bênção, ou que você é condescendente e constrangedor?
Se você está pensando que o seu cônjuge - não você - é quem precisa ser trabalhado nesta área, você está provavelmente sofrendo de um caso grave de ignorância e egoísmo. Lembre-se, o amor não maltrata, mas leva você a um padrão mais elevado.

Você deseja que seu cônjuge pare de fazer coisas que lhe chateiam? Então, é hora de parar de fazer coisas que o chateiam. Você será reflexivo e amoroso o suficiente para descobrir e evitar o comportamento que torna a vida desagradável para seu (sua) companheiro (a)? Você aceitará o desafio de ser agradável?

Aqui estão três princípios norteadores para que você pratique a etiqueta em seu casamento:
  • Guarde a Regra de Ouro. Trate seu cônjuge da mesma maneira que você deseja ser tratado (veja Lucas 6:31).
  • Nada de Padrões Diferentes. Seja tão atencioso com o seu cônjuge quanto você é com estranhos ou com colegas de trabalho.
  • Atenda às Solicitações. Considere o que o seu marido ou esposa lhe pediu para fazer ou não fazer. Se estiver em dúvida, então pergunte.
» Desafio de hoje »
Peça ao seu cônjuge para lhe dizer três coisas sobre você que o deixam desconfortável e irritado. Faça isso sem atacá-lo e sem justificar seu comportamento. Preocupe-se apenas com a perspectiva dele.

OBS: Anote as suas experiências quando você concluir o desafio.

Quais foram as três coisas que o seu cônjuge disse sobre você que precisam da sua atenção? Como você reagiu ao ouvi-las? O que você pretende fazer para melhorar essas áreas?

Nas palavras da boca do sábio há favor. (Eclesiastes 10: 12).

Fonte: O Desafio de Amar

17 de junho de 2018

Análise dos Livros da Bíblia - Hebreus


HEBREUS

Autor e data: 
Indeterminados. A carta é anônima. Tem sido atribuída a Paulo, Barnabé, Lucas e Apolo, entre outros.

Propósito: 
A carta aparentemente foi escrita aos cristãos hebreus. Estavam em perigo constante de regressar ao judaísmo ou pelo menos de dar importância exagerada às observâncias cerimoniais. O principal propósito doutrinário do escritor é mostrar a glória transcendente da era cristã em comparação com a do AT.

Palavra-chave: 
“Melhor” ou “superior”, que apontam a corrente principal de pensamento.

Outras palavras e frases em destaque: 
Ser santo, referindo-se à obra consumada de Cristo, 1:3; 10:12; 12:2; “chamado celestial”, 3:1; “sacerdote”, 4:14; “dom”, 6:4; “bens”, 10:34; “pátria”, 11:16; “cidade”, 12:22.

Onze exortações à confiança
  1. Temamos, 4:1;
  2. Esforcemo-nos, 4:11;
  3. Aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, 4:16;
  4. Avancemos, 6:1;
  5. Aproximemo-nos, 10:22;
  6. Apeguemo-nos com firmeza, 10:23;
  7. Consideremos uns aos outros, 10:24;
  8. Livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e corramos com perseverança, 12:1;
  9. Adoremos a Deus de modo aceitável, 12:28; 
  10. Saiamos, 13:13; e
  11. Ofereçamos continuamente a Deus um sacrifício de louvor, 13:15.

SINOPSE
Parte 1 - Seção doutrinária
I - A preeminência de Cristo
1 - Sobre os profetas, devido à glória divina dele, 1:1-3
2 - Sobre os anjos
a) Por possuir melhor nome, 1:4
b) Reconhecido como o único Filho verdadeiro do Pai, 1:5
c) Deus ordena aos anjos que adorem ao Filho, v. 1:6
d) Exaltado acima dos anjos ao trono eterno, à direita de Deus, 1:8-14
e) Sua mensagem é de fundamental importância, por isso não podemos negligenciá-la, 2:1-4
f) Jesus, feito pouco menor que os anjos, morreu pela humanidade a fim de trazer muitos filhos à glória com o Pai e destruir o que tem o poder da morte, 2:9-14

II - A preeminência do sacerdócio de Cristo
1 - Assumiu a natureza humana
a) Como preparação para a obra de reconciliação, 2:16,17
b) A tentação preparou-o para ajudar os tentados, 2:18
2. Convite a considerar o sacerdócio de Cristo, 3:1
3. Sua preeminência sobre Moisés, que foi servo, enquanto Cristo é o Filho, 3:2-6
4. Parêntese. O fracasso de Israel
a) Em entrar no descanso de Canaã, 3:7-11
b) Foram excluídos devido à incredulidade, 3:12-19
c) Advertência à igreja para que não siga o exemplo de incredulidade de Israel, mas entre no descanso da fé, 4:1-8
d) O crente descansa na obra da redenção e deixa de confiar nas próprias obras, 4:9-11
e) O poder da Palavra de Deus, 4:12,13

III - Retomado o tema do sacerdócio de Cristo
1 - O sacerdócio compassivo de Cristo incentiva-nos à firmeza e à oração, 4:14-16
2 - O sumo sacerdote, seu ofício e obra
a) Tomado de entre os homens, 5:1
b) Compreensivo devido às próprias debilidades, 5:2
c) Apresenta oferta por si mesmo e também pelo povo, 5:3
d) Escolhido por Deus, 5:4
3 - Características do sacerdócio de Cristo
a) Escolhido por Deus segundo nova ordem, 5:5,6
b) Ofereceu orações sinceras por livramento em atitude de obediência, 5:7,8
c) Converteu-se em fonte de eterna salvação, 5:9,10
4 - Repreensão paternal, chamado, advertência e recomendação
a) Repreensão pela torpeza e imaturidade, 5:11-14
b) Chamado ao progresso na verdade doutrinária, 6:1-3
c) Advertência acerca dos que, havendo desfrutado os privilégios mais sublimes da Nova Aliança, se afastam de Cristo, 6:4-8
d) Elogio à igreja e a certeza de que os crentes continuarão fiéis e herdarão as promessas, 6:9-12 (Retomado outra vez o tema do sacerdócio de Cristo.)
5 - Certeza do cumprimento das promessas divinas
a) Ilustrada na vida de Abraão, 6:13-15
b) Confirmada por juramento, 6:16,17
c) Como âncora da alma, 6:18,19
d) Garantida por nosso Sumo Sacerdote celestial, 6:20
6 - O sacerdócio de Melquisedeque como tipo do de Cristo
a) Com um grande nome e pertencente a uma ordem eterna, 7:1-3
b) Abraão honrou-o com os dízimos, sendo esse sacerdócio superior ao de Arão, 7:4-10
7 - Resumo das qualidades preeminentes do sacerdócio de Cristo
a) Como o de Melquisedeque, pertencia a uma ordem eterna e foi confirmado por juramento divino, 7:11-22
b) É imutável e infinito em poder, 7:23-25
c) Foi puro e perfeito e consumou um sacrifício completo, 7:26-28
d) Exerce seu ministério no santuário celestial, 8:1-5
e) É mediado por uma aliança superior, 8:6-13
f) Os ritos, as cerimônias e os sacrifícios que os sacerdotes realizaram no passado eram apenas tipos, 9:1-10
g) A obra redentora de Cristo e seu sangue, que purifica do pecado, são realidades sublimes, 9:11-15
h) As provisões da Antiga Aliança eram figura da obra perfeita que Cristo realizou na Nova Aliança, 9:16-28
i) Os sacrifícios israelitas, repetidos continuamente, eram ineficazes para tirar o pecado, ao passo que Cristo, por meio de seu único sacrifício, completou a obra redentora da humanidade e sentou-se à direita de Deus, esperando a consumação do plano divino, 10:1-18

Parte 2 - Seção prática
I - Ensino e exortações práticas
1 - O privilégio de entrar na presença divina por meio do sacrifício, e o sacerdócio de Cristo, 10:19-21
2 - Exortações
a) A nos aproximarmos confiantemente em adoração, com um coração preparado, 10:22
b) À firmeza, ao estímulo mútuo e à lealdade, 10:23-25
3 - Advertências acerca dos perigos da reincidência
a) O castigo imposto aos desobedientes sob a Lei, 10:28
b) O destino, ainda pior, para os que desonram o sacrifício de Cristo e o espírito da graça de Deus, 10:29-31
4 - Lembrança aos crentes hebreus de seu valor ao suportar as aflições e exortação à paciência e à perseverança, 10:32-39
5 - Lista de heróis e heroínas da fé, cap. 11
a) A esfera da fé, v. 1-3
b) Exemplos notáveis de fé. Abel, v. 4; Enoque, v. 5,6; Noé, v. 7; Abraão e Sara, v. 8-19; Isaque, Jacó e José, v. 20-22; Moisés e seus pais, v. 23-29; Josué e Israel, v. 30; Raabe, v. 31; outros crentes destacados, v. 32-40
6 - Atletismo espiritual, a carreira cristã
a) A concorrência, a preparação e como correr, 12:1
b) Os olhos postos no Mestre, recordando sua vitória, 12:2
c) Inspiração para o cansado, 12:3,4
d) O valor do sofrimento e da disciplina na instrução, 12:5-10
e) Os bons resultados do sofrimento e da disciplina, 12:11
f) Apelo ao vigor e à retidão, 12:12,13
7 - Exortações quanto à paz, à pureza e ao cuidado contra as más influências, 12:14,15
8 - Advertências acerca do desprezo pelas bênçãos de Deus, 12:16,17
9 - Contraste entre o monte Sinai, da Antiga Aliança, e o monte Sião, da Nova Aliança
a) O monte Sinai com as manifestações terríveis do poder divino, 12:18-21
b) O monte Sião com a companhia gloriosa na Jerusalém celestial, 12:22-24
10 - Solene advertência a respeito da necessidade de atentar para a mensagem celestial e contraste entre a efemeridade das coisas terrenas e a permanência do Reino de Deus, 12:25-28

II - Exortações finais acerca dos deveres cristãos, 13:1-17
1 - Deveres sociais, v. 1-6
2 - Deveres perante os líderes religiosos, v. 7
3 - O Cristo imutável deve inspirar firmeza na doutrina cristã, v. 8,9
4 - Devemos buscar a santificação, v. 10-14
5 - Devemos ser agradecidos, bondosos e obedientes aos governantes, v. 15-17

III - Conclusão, 13:18-25
1 - Pedido de oração e votos de bênção, v. 18-21
2 - Saudação e bênção finais, v. 22-25

Passagens notáveis
  • O sofrimento, preparação para o sacerdócio, 2:9-18;
  • O descanso da fé, 4:1-11;
  • A maturidade espiritual, 5:12 - 6:2;
  • A Nova Aliança, 8:8-13;
  • O capítulo da fé: ou a galeria dos heróis, cap. 11; e
  • O capítulo do “atletismo espiritual” e da carreira cristã: o sofrimento, a correção e a disciplina como preparação para a vitória, 12:1-13.
Fonte: Bíblia de Referência Thompson

O Desafio de Amar - 4º Dia


[ 1º Dia ] [ 2º Dia ] [ 3º Dia ] [ 4º Dia ] [ 5º Dia ] [ 6º Dia ]

4º Dia
O Amor é atencioso
Como são preciosos para mim os teus pensamentos... Como
é grande a soma deles! Se eu os contasse, seriam mais do
que os grãos de areia. - Salmos 139: 17-18

O amor pensa. Ele não é um sentimento tolo que passeia pelas ondas da emoção e então cai no sono mental. Ele se mantém ocupado em pensamentos, sabendo que os pensamentos amorosos precedem as atitudes amorosas.

Quando você se apaixonou, o pensamento veio quase que naturalmente. Você passou horas imaginando como seria a pessoa amada, imaginando o que ela estaria fazendo; ensaiando coisas marcantes para dizer e, depois, curtindo doces memórias do tempo que passaram juntos. Você disse sinceramente: "Eu não consigo parar de pensar em você."

Mas, para a maioria dos casais as coisas começam a mudar logo depois do casamento. A esposa finalmente tem seu marido; o marido já tem seu troféu. A caça está terminada e a perseguição encerrada, Fagulhas de romance vagarosamente tornam-se cinzas e a motivação para o pensamento esfria. Você se deixa focar em seu trabalho, seus amigos, seus problemas, seus desejos pessoais, em você. Depois de algum tempo, você involuntariamente começa a ignorar as necessidades do seu cônjuge.

Mas o fato de que o casamento acrescentou outra pessoa em seu universo não mudou. Então, se o seu pensamento não amadureceu o bastante para constantemente incluir esta pessoa, você se pega sendo surpreendido ao invés de reflexivo. “Hoje é nosso aniversario?” “Por que você não me inclui nesta decisão?” “Você nunca pensa em ninguém além de você mesmo?”

Se você não aprender a ser reflexivo, acabará se arrependendo por ter perdido oportunidades de demonstrar amor. A falta de atenção é um inimigo silencioso para um relacionamento amoroso.

Sejamos honestos. Os homens lutam mais contra a falta de atenção do que as mulheres. O homem tem a capacidade de focar em apenas uma coisa, como um laser, e esquecer-se do resto do mundo. Enquanto isto pode beneficiá-lo naquela área específica, pode também fazê-lo ignorar outras coisas que precisam de sua atenção.

A mulher, por outro lado, é mais multiconsciente, capaz de manter-se incrivelmente atenta a vários fatos ao mesmo tempo. Ela tem a capacidade de falar ao telefone, cozinhar, saber em que cômodo da casa as crianças estão e se perguntar por que seu marido não a está ajudando... Tudo simultaneamente. Além disso, a mulher também pensa no coletivo. Quando ela se envolve em algum trabalho específico, fica a par de todas as pessoas que de alguma forma estão ligadas a ele.

Essas duas tendências são exemplos de como Deus projetou as mulheres para completarem os seus maridos. Como Deus disse na criação: "Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e o corresponda" (Gênesis 2: 18). Porém, essas diferenças também criam oportunidades para o desentendimento.

Homens, por exemplo, tendem a pensar de forma objetiva e a dizer exatamente o que querem dizer. Não é preciso mais nada para compreender a mensagem. Suas palavras são mais literais e não devem ser analisadas além do que foi dito. Mas, as mulheres falam e pensam nas entrelinhas. Elas têm a tendência de fazer insinuações. Um homem precisa ouvir também o que está implícito se quiser obter o significado completo do que uma mulher diz.

Se um casal não tem essa compreensão um do outro, isso pode resultar em desentendimentos sem fim. Ele fica frustrado tentando entender por que ela fala em enigmas ao invés de falar de uma vez o que quer. Ela fica frustrada tentando entender por que ele é tão desatento e não soma dois mais dois para compreender o que ela diz.

Uma mulher deseja profundamente que seu marido seja atencioso e reflexivo. Essa é uma das chaves que a ajuda a sentir-se amada. Quando ela fala, o homem sábio ouve como um detetive para descobrir as necessidades e desejos implícitos em suas palavras. Contudo, se ela sempre tem que juntar as peças, ele perde a oportunidade de demonstrar que a ama.

Isto também explica por que as mulheres ficam chateadas com seus maridos sem dizer a eles o porquê. Ela pensa: "Eu não deveria ter que explicar isso para ele. Ele precisa ser capaz de olhar a situação e entender o que está acontecendo aqui." Ao mesmo tempo, ele se sente mal porque não pode ler a mente dela e deseja saber por que está sendo punido por um crime que não sabia que havia cometido.

O amor requer atenção - dos dois lados - o tipo de atenção que constrói pontes através da combinação de paciência, bondade e generosidade. O amor ensina a acertar o alvo, a respeitar e a apreciar a maneira única de pensar do seu cônjuge.

O marido deve ouvir a sua esposa e aprender a considerar as mensagens não ditas. A esposa deve aprender a se comunicar com atenção e não dizer uma coisa significando outra.

Porém, com freqüência você fica irado e se frustra, seguindo o padrão destrutivo "Preparar, apontar, fogo!" Você fala de forma dura e só depois pensa se deveria ter dito o que disse. Mas a natureza atenciosa do amor lhe ensina a usar a mente antes de usar os lábios. O amor pensa antes de falar. Ele filtra as palavras com a peneira da verdade e da bondade.

Quando foi a última vez que você gastou alguns minutos pensando em como poderia demonstrar amor ao seu cônjuge e entendê-lo melhor? Qual a necessidade imediata que você pode suprir? Para qual próximo evento (aniversário, data comemorativa, feriado) você já pode se preparar? Grandes casamentos vêm de grandes reflexões.

» Desafio de hoje »
Faça contato com o seu cônjuge em algum momento durante a agitação do dia. Não faça outra coisa senão perguntar como ele está e se tem algo que você pode fazer por ele.

OBS: Anote as suas experiências quando você concluir o desafio.

O que você aprendeu sobre si mesmo e sobre o seu cônjuge ao aceitar o desafio de hoje? Como isso poderia se tornar mais natural, rotineiro e parte verdadeiramente útil do seu estilo de vida?

Agradeço a meu Deus toda vez que me lembro de vocês. (Filipenses 1:3).

Fonte: O Desafio de Amar